Rodrigo

Nascido a 29 de Junho de 1941, na freguesia da Graça, em Lisboa, foi baptizado com o nome de Rodrigo Ferreira Inácio.
Aos 18 anos, foi convidado a fazer parte de um conjunto musical denominado “Os Cinco Reis”.Este grupo obteve grande sucesso no início dos anos 60, tendo participado em muitos programas de televisão, em directo. Grava um disco de êxito (“O Pepe”) apresentando-se em muitas salas de Lisboa e não só, donde se destaca o então famosíssimo “Passatempo para Jovens”.
Aos 21 anos, sente necessidade de aprender algo mais que o ajude a fazer face à vida. Assim, vai para França afim de aprender a língua francesa. Na véspera da partida para Paris, resolve fazer uma festa de despedida com alguns amigos, passando a noite a fazer aquilo a que normalmente se chama visitar as “capelinhas”. Terminaram a noite numa casa de fados em Alcântara, a velha “Cesária”, local onde nunca tinha entrado. Ao integrar-se naquele ambiente, não sendo propriamente um apreciador de fado, sentiu algo de muito forte naquela sala, perguntando-se: “Que Fenómeno este tão estranho, que leva todos os presentes a transformarem-se quando se ouve o tocar duma guitarra acompanhando qualquer voz por muito rouca que seja e sentir que em tudo aquilo que se sente e ouve, há muito de Portugal?”.
Incitado pelos amigos, resolveu participar daquele ambiente fadista cantando o único fado que sabia, por estar muito na moda e o ouvir muitas vezes na rádio: “Biografia do Fado”, celebrizado por um grande senhor do Fado: Carlos Ramos. Mal acabou de cantar, sentou-se, pois não sabia mais nenhum. Dos que o ouviram, ninguém queria acreditar que aquele rapaz afável e educado, desconhecesse outros fados e mais ainda, que seria a primeira vez que o teria cantado. Depois de muitas explicações (toda a gente o queria ouvir cantar mais), lá acreditaram, por sentirem estar a falar a verdade.
Este incidente marcou-o para o resto da vida. Já em França, com bastante surpresa sua, o momento que mais recordava, para além da saudade que sentia da família, era o daquele mágico momento fadista.
Aos 26 anos regressa definitivamente a Portugal e grava o seu primeiro disco, “A Última Toirada Real em Salvaterra”.Embora o tenha gravado na qualidade de amador, o disco obteve enorme sucesso, o mesmo acontecendo aos discos que se seguiram. É então que, aos 30 anos, se torna profissional, deixando o cargo de Sócio-Gerente de uma conhecida editora gráfica para se dedicar exclusivamente à sua paixão: O FADO.
Embora nascido em Lisboa, é conhecido pelo “fadista de Cascais”, onde vive há cerca de quarenta anos. Durante 31 anos foi proprietário do “Forte D. Rodrigo” – uma das mais famosas Casas de Fado, em Cascais.
Fica assim explicado o facto do seu nome estar sempre ligado a Cascais, como se comprova através de variadíssimos artigos escritos em publicações em muitas partes do Mundo, o que levaria a Câmara Municipal de Cascais a distingui-lo com medalha de mérito, passando assim a fazer parte dos notáveis do Concelho.
A sua discografia conta com trinta e oito trabalhos de longa duração, na sua maioria, discos de ouro ou prata, donde se destaca o seu mais recente trabalho intitulado «Marés de Saudade» (Novembro de 2002). Divulgador da canção Lisboeta em todo o Mundo, RODRIGO representou inúmeras vezes o nosso País em certames internacionais, fazendo-o sempre de maneira honrosa, donde se destacam as seguintes participações:

  • Primeiro centenário da Cidade de Joanesburgo – África do Sul
  • Festival Autour du Monde-Casino de Monte Carlo – Mónaco
  • Festival del Sol – Trujillo, Espanha
  • Jantar de Gala em Honra do Presidente norte-americano Jimmy Carter, em Washington
    Por tudo isto, não terá sido surpreendido ao ser distinguido pelo Senado, com o Diploma de Agradecimento pela sua prestação cultural ao povo do Estado de Rhode Island, nos Estados Unidos da América.

Durante os seus 40 anos de carreira, actuou em diversas salas de espectáculo e cadeias de televisão pelos cinco cantos do Mundo. Exemplos: Espanha, Alemanha, França, Canadá, Estados Unidos da América, Brasil, Venezuela, África, etc.
Actualmente, RODRIGO é, sem dúvida, um caso raro de popularidade e simpatia, premiado pela admiração, carinho, respeito e amizade de todo o Povo Português.

19.90 € TICKETS